29 de abril de 2013

A TROÇA HARMÔNICA NO PIOLLIN

Nova geração de coletivo musical da Paraíba

A experiência sonora de quatro músicos e amigos transforma a música em elemento criativo para vários sentidos artísticos e desta forma, os jovens Chico Limeira, Gustavo Limeira, Lucas Dourado e Regina Limeira se encontram no que eles chamam de A Troça Harmônica. O espetáculo musical foi apresentado apenas uma vez em João Pessoa e terá sua segunda apresentação no Teatro Piolllin, no próximo 4 de maio, às 21h.

video


Os jovens ativistas artísticos se encontram em estado declarado de música e poesia. Todos têm, já há algum tempo, envolvimento com projetos individuais em circulação na cena musical Paraíba afora. Para esse novo projeto, cada um doa um punhado de canções e se forma o show d’A Troça Harmônica.

Música que nasce do silêncio!
 O nascimento d’A Troça Harmônica surge de uma inspiração na tradição de grupos como o Musiclube da Paraíba e o Assaltarte, que marcaram a história da música paraibana ao unirem-se no propósito de fazer soar suas próprias produções em uma ação, não apenas de salvaguarda, mas também de enfrentamento da mídia que insiste em suplantar a produção local com enlatados de alhures. Desde o nome, o grupo se pretende dual. A Troça Harmônica põe, sob a mesma asa, a alegria honesta e a espontaneidade da música carnavalesca com o empenho e o suor da harmonização.


Com músicas autorais, os quatro jovens encantam pelo minimalismo
Os quatro compositores trazem para o palco experiências diversas em música e poesia, mas essencialmente coerentes, sempre tocando em um tom minimalista, dentro da perspectiva do quarteto que revisita e reatmosfera suas próprias canções. No quintal d’A Troça, tudo vale: a palavra de um no acorde do outro, convergindo em prol do novo. A instrumentação enxuta tem como alvo a valorização das composições, afinal a grandiloquência tem, por natureza, a tendência de obnubilar a beleza do simples, e é justamente por isso, que se pretende um espetáculo nu, honesto, na perspectiva do silêncio.

Estima-se um público de mais 300 pessoas na apresentação do Piollin
Em 2004, em uma entrevista para a Folha de São Paulo, o poeta maior da música popular do nosso país, Chico Buarque, supôs o fim da canção: “como a ópera, a música lírica, foi um fenômeno do século XIX, talvez a canção, tal como a conhecemos, seja um fenômeno do século XX”. Arriscado seria contrariá-lo. Mas o que é a arte senão risco? A Troça Harmônica vem, pois, na contramão da colocação do carioca, que fez história em suas canções de protesto, trilhas de espetáculos, filmes e vidas Brasil afora, para reforçar uma tradição nacional: a da palavra cantada. Tradição esta particularmente forte no Nordeste de onde são Chico, Regina, Gustavo e Lucas que exibem ainda bastante disposição e fôlego para tal tarefa, comprovando que o alinhamento da palavra na música, ao que se mostra, é uma linguagem inesgotável, e de força ainda a ser medida.


O grupo fez o seu show de lançamento no dia 04 de abril, na Usina Cultural Energisa, onde conquistou a admiração de cerca de trezentas pessoas que prestigiaram o espetáculo. Os ingressos são limitados e podem ser adquiridos ao preço de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (estudante). No dia do show, a bilheteria será aberta no local às 18h30.
Serviço:
O que: Show A Troça Harmônica
Onde: Centro Cultural Piollin | R. Prof. Sizenando Costa, s/n, Roger, ao lado da Bica
Quando: 04/05/2013
Quanto: R$ 10,00 e R$ 20,00
Informações: 83 3241 6343

Nenhum comentário:

Postar um comentário